Coronavírus: projeto da UFSC Blumenau produz vídeos sobre questões têxteis

02/07/2020 15:25

Um projeto divulgação científica inclusiva desenvolvido no campus de Blumenau da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) produziu dois vídeos sobre questões têxteis relacionadas ao coronavírus. O primeiro apresenta dicas de cuidados para evitar o contágio e aborda os tecidos recomendados para a confecção de máscaras, a forma adequada de retirá-las e descartá-las e orientações para a higienização de sapatos, roupas e máscaras.

O segundo vídeo fala sobre a Liga Anti-Máscara, surgida durante a pandemia de gripe espanhola na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos. O movimento do início do século 20 disseminou dúvidas com relação à eficácia do uso de máscaras e acusações contra autoridades. Com consequência, a cidade registrou uma das mais elevadas taxas de contaminação e letalidade de gripe espanhola nos Estados Unidos. Com apresentação de Lucas Luiz Vasselai, estudante da graduação em Engenharia Têxtil da UFSC, ambas as produções contam com janela de Libras e nota explicativa para pessoas com deficiência visual.

Nota explicativa para pessoas com deficiência visual: O vídeo tem início com a frase em caixa alta “Você sabe o que fazer com sua máscara, roupas e calçados? Dicas sobre cuidados têxteis para evitar o contágio”. O vídeo contém imagens ilustrando cada uma das dicas mencionadas pelo estudante de engenharia têxtil relacionadas à confecção e ao uso de máscaras caseiras, bem como à higienização de roupas e sapatos no cenário da pandemia de Covid-19. Também há imagens ilustrando a importância do distanciamento físico mantendo-se a gentileza com garotas usando máscaras e fazendo imagens de corações com as mãos, bem como uma imagem de biscoitos usando máscaras, um ponto de doação de máscaras com dizeres atrelados à gentileza e uma estátua de Blumenau em homenagem aos estudantes usando a máscara. Ao final do vídeo, estão as logos relativas aos órgãos oficiais citados, às universidades realizadoras (UFSC e UFRN) e ao Coletivo Colmeia, um dos apoiadores, bem como os créditos com todos os colaboradores do projeto e as referências bibliográficas.

Nota explicativa para pessoas com deficiência visual: O vídeo tem início com a seguinte frase em caixa alta: “Você sabia da existência da Liga Anti-Máscara durante a pandemia de influenza?” O vídeo contém imagens registradas durante a gripe espanhola, no século passado, com relação ao uso de máscara para proteção da população. No canto inferior esquerdo há uma janela com a interpretação de Libras. Ao final do vídeo, surgem algumas imagens com orientações do Ministério da Saúde durante a pandemia de Covid-19, bem como as logos relativas aos órgãos oficiais citados, os créditos com todos os colaboradores do projeto e as referências bibliográficas, sendo o vídeo finalizado com a logo das Universidades realizadoras (UFSC e UFRN) e do coletivo Colmeia, um dos apoiadores do projeto.

Divulgação científica inclusiva 

Os vídeos fazem parte de um projeto inclusivo multidisciplinar de democratização da ciência. “Mais especificamente, os dois vídeos divulgados referem-se ao campo da Engenharia Têxtil em sua interface com a saúde e a efetivação dos Direitos Humanos. É fundamental a importância da divulgação de materiais têxteis adequados para a fabricação de máscaras, bem como dos seus cuidados de conservação, colaborando com a proteção do(a) usuário(a)”, comenta a professora da UFSC Blumenau Renata Orlandi, uma das coordenadoras da ação.

A docente ressalta ainda a relevância da acessibilidade dos materiais: “todos têm direito de acesso à ciência e de assim tomarem decisões conscientes com relação à sua saúde”. Além de Renata, coordenam a ação as professoras da UFSC Blumenau Catia Rosana Lange de Aguiar e Fernanda Steffens e o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Francisco Claudivan da Silva. Contribuiu, ainda, a estudante de Licenciatura em Química Natasha Hempkemeyer.

O projeto também produz vídeos sobre a Covid-19 para crianças. Todos os materiais são publicados no canal da UFSC Blumenau no Youtube.

(Fonte: Notícias UFSC)

Tags: acessibilidadeCoronavírusCovid-19Engenharia Têxtilinclusãoprevenção

Professora lança canal no YouTube que ensina Libras para ouvintes

18/06/2020 14:16

A professora da UFSC Blumenau Fabiana Schmitt Corrêa lançou um canal no YouTube intitulado Um Sinal de Inclusão, onde ensina a Língua Brasileira de Sinais (Libras) para ouvintes. A ideia surgiu nesse momento de distanciamento social, provocado pela pandemia do novo coronavírus, para divulgar a língua e informações sobre a comunidade surda.

Fabiana explica que os temas dos vídeos são pensados para a comunicação do cotidiano, como saudações, contexto de alimentação, animais e lugares públicos de Blumenau. No entanto, o canal está aberto para sugestões. “Estamos sempre observando os comentários dos vídeos para suprir os interesses das pessoas que acompanham o canal. Foram solicitados temas referentes aos espaços e utensílios de casa e já estamos providenciando esse vídeo”, revela.

Além de ensinar os sinais para a interação cotidiana, os vídeos também trazem curiosidades referentes à língua e apresentam o uso da gramática. Para ajudar na elaboração dos vídeos, a professora conta com a bolsista voluntária Morgana Aline Voigt, formada no curso de Licenciatura em Química da UFSC Blumenau e atualmente aluna do mestrado em Nanociência, Processos e Materiais Avançados, também no Campus Blumenau.

Fabiana conta que atualmente ainda é comum que familiares de pessoas surdas se sintam inseguros sobre o uso da Libras. “A difusão da língua de sinais e a apresentação da cultura surda à sociedade promove a aproximação entre pessoas surdas e ouvintes, rompendo a barreira comunicacional e atitudinal. Esperamos que esse projeto amplie o conhecimento das pessoas e elimine o preconceito referente à Libras”, completa a professora.

O canal faz parte do projeto de extensão "Libras: comunicação e informação", coordenado pela professora Fabiana. Além do canal para difusão da língua, o projeto inclui ainda a tradução dos boletins sobre o coronavírus emitidos pela Prefeitura de Blumenau.

(Daiana Martini/Comitê de Comunicação UFSC Blumenau)

Tags: acessibilidadeExtensãoinclusãoLIBRAS

UFSC na mídia: Jovens criam pulseira para ajudar pessoas cegas ou com baixa visão

17/06/2020 19:39

Anderson Cordeiro de Souza, Dartagnan Scalon Machado e Érique Moser

Anderson Cordeiro de Souza, Dartagnan Scalon Machado e Érique Moser, estudantes da UFSC Blumenau, desenvolveram a Pulseira Vision, ideia aprovada na última edição do Programa Nascer, realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) em parceria com o Sebrae/SC.

O acessório serve para informar o nome de lojas ou outros estabelecimentos a pessoas com deficiência visual. Assim, não será preciso abordar pessoas na rua e perguntar, uma conduta especialmente não recomendada no contexto da pandemia da Covid-19.

Cada comércio que quiser se tornar mais acessível, deverá ter um dispositivo chamado BlindBox, que emite um sinal contendo as informações do local e que serão recebidas pelo equipamento. Quando o usuário passar pela frente, sentirá uma vibração e poderá escolher se aceita ou não saber qual é o estabelecimento.

Clique para ver as reportagens:

Tags: acessibilidadeCovid-19engenhariatecnologiaufscUFSC Blumenau

Coronavírus: projeto da UFSC Blumenau elabora vídeos para conscientização de crianças sobre cuidados preventivos

27/03/2020 15:53

A pandemia de coronavírus ainda mantém o alerta de saúde ligado no mundo todo. No Brasil, o primeiro caso de Covid-19 foi confirmado em São Paulo no dia 26/2 e, em poucas semanas, diversas cidades confirmaram casos da doença.

Em Santa Catarina, a quarentena segue como medida governamental de contenção até o próximo dia 1/4, para que o vírus não atinja ainda mais pessoas. Os grupos vulneráveis (pessoas com doenças crônicas preexistentes e idosos) são aqueles que recebem a maior atenção neste momento.

Porém, uma outra parcela da sociedade também deve ser considerada na força-tarefa contra o coronavírus: as crianças. Com o objetivo de conscientizá-las sobre esse momento e divulgar informações com base científica, um projeto da UFSC coordenado pelos professores Aldo Sena de Oliveira e Renata Orlandi, elaborou dois vídeos com dicas de prevenção com foco na população infantil.

 

Acessibilidade e visibilidade

Augusto e sua bicicleta adaptada. Mountain bike já lhe rendeu diversas premiações.

Os vídeos foram elaborados com a intenção de alcançar o maior número possível de crianças e, para isso, possuem duas versões: uma com tradução e interpretação em Libras e outra com audiodescrição.

Somaram-se aos esforços de produção a professora Fabiana Schmitt Corrêa; Aline Guesser e Patrícia Taffarel, do Serviço de Tradução/Interpretação de Libras-Português do Campus Blumenau da UFSC; e voluntários na parte de audiodescrição e na gravação da música composta para o projeto (créditos ao final). Entre os apoiadores estão ainda o Colméia - Coletivo de Artes e o Laboratório de Ciência Tecnologia e Inovação da UFSC Blumenau - LABCTI.

Augusto Selhorst, de nove anos, protagoniza a produção. Ele é uma criança com deficiência visual, natural de Indaial/SC e sua contribuição para o projeto se deu por meio do contato dos docentes da UFSC com a Rede de Inclusão. Augusto contou ainda com a participação de seu amigo, Yago Gabriel de Liz, durante as filmagens.

Diagnosticado com glaucoma congênito, Augusto não permite que as barreiras impostas às crianças com deficiência visual restrinjam a vivência de uma infância plena. Além de “ator” nas horas vagas, ele acumula premiações no ciclismo e no judô. Entre suas premiações na mountain bike, incluem-se dois troféus feitos em braile especialmente para ele.

Participe do próximo vídeo!

É possível que outras crianças interessadas também participem do projeto de divulgação científica. Para isso, basta entrar em contato com os professores Aldo ou Renata ( | ).

Seguem abaixo orientações e um breve roteiro de vídeo para quem quiser gravar o seu de casa e enviar para a UFSC Blumenau:

No smartphone

  1. Limpe a lente
  2. Atenção ao áudio
  3. Filme na horizontal
  4. Use as duas mãos
  5. Use a luz a seu favor, não faça o vídeo contra a luz
  6. Não coloque bordas ou efeitos
  7. Verifique o enquadramento
  8. Solicite aos coordenadores a música do projeto

 

Roteiro para gravação do vídeo de prevenção do Covid-19 e demais doenças relacionadas à higienização das mãos

  1. Molhe as mãozinhas com água
  2. Passe sabão ou coloque sabonete líquido suficiente para cobrir as duas mãos
  3. Esfregue as mãozinhas uma na outra, espalhando o sabão
  4. Junte as mãozinhas e cruze (entrelace) os dedinhos, esfregando todos eles ao mesmo tempo
  5. Passe os dedinhos na parte de trás de cada mãozinha, para ficar tudo bem limpinho
  6. Agora vamos lavar cada dedinho: a mão direita será nossa esponjinha e lavará cada dedinho da mão esquerda, esfregando cada um, depois nossa mão esquerda será nossa esponjinha para lavar os dedinhos da mão direita
  7. Lave todos os dedinhos e as unhas de cada um
  8. Enxague as mãozinhas com água até tirar todo o sabão
  9. Seque as mãozinhas
  10. Não esqueça de manter as unhas bem aparadas

 

Caso não esteja em casa e sem acesso para lavar as mãos com água e sabão, o mesmo procedimento acima deve ser adotado com o álcool gel.

 

Mensagem da equipe de produção

Desejamos fortemente que, após a quarentena, todos os pais e responsáveis por crianças, especialmente os homens pais, assumam o compromisso e disponham do tempo necessário para seguir brincando com os seus filhos. Também ficaremos muito felizes quando todas as crianças tiverem bons motivos para voltar para a escola. Voltar para uma escola justa, inclusiva, onde todas e todos, com ou sem deficiência, ricos e pobres, negros e brancos, toda a pluralidade que as infâncias abarcam, seja convidada para jogar bola”.

 

Créditos

Augusto Selhorst

Yago Gabriel de Liz (amigo)

Márcio Selhorst (cineasta)

 

Professores Coordenadores

Aldo Sena de Oliveira

Renata Orlandi

Professora de Libras

Fabiana Schimitt Corrêa

Intérprete de Libras

Aline Vanessa Poltronieri Gesser

Áudio-descritora voluntária

Mara Rubian Matteussi Garcia Kortelt

Consultora e Áudio-descritora voluntária

Luana Tillmann

Estudantes Voluntários da UFSC

Luana Magnani

Luis Fernando Magnani

Vantuir Dionísio Junior

Melodia

Marcos Roberto da Silva

Composição

Renata Orlandi

 

(Camila Collato/Comitê de Comunicação UFSC Blumenau)

Tags: acessibilidadeCoronavírusinfânciasaúde

Projeto da UFSC Blumenau é semifinalista do Prêmio Brasil Criativo

01/11/2019 16:29

Jaqueta com dispositivo acoplado no interior envia mensagem a aplicativo no caso de quedas e permite o monitoramento por parte de amigos e familiares.

(Atualizada em 08/11/2019, às 11h22min)

O projeto Tecnologias assistivas aplicadas ao vestuário coordenado pela professora Grazyella Cristina Oliveira de Aguiar, do curso de Engenharia Têxtil da UFSC Blumenau, está entre os semifinalistas da categoria Design do Prêmio Brasil Criativo. A equipe é composta pela acadêmica Fabieli Breier do curso de Engenharia Têxtil, pelo acadêmico Christian Mailer, do curso de Engenharia de Controle e Automação e pelo professor Leonardo Mejia Rincon, do Departamento de Engenharia de Controle, Automação e Computação (CAC/UFSC/BNU) .

Em parceria com a Associação Blumenauense de Deficientes Físicos (Abludef), a equipe desenvolveu três modelos de roupas que, além de inclusivos, promovem a saúde e o bem-estar. As peças, pensadas para auxiliar pessoas com deficiência física, contam com uma tecnologia exclusiva no tecido que permite melhorar a circulação sanguínea e possuem sensores acoplados para a prevenção de acidentes - saiba mais aqui.

O Prêmio Brasil Criativo é promovido pelo Ministério da Cidadania e 3M e chega a sua 3ª edição em 2019 como propósito de valorizar atitudes criativas. Consolidado como a Premiação Oficial da Economia Criativa, os principais objetivos do Prêmio são: revelar, valorizar e preservar a diversidade criativa do povo brasileiro; reconhecer ações inovadoras do empreendedorismo criativo no país e fortalecer as políticas de economia criativa no Brasil e fomentar a rede de empreendedores que fazem parte desse setor.

--

Erramos

O projeto encontra-se entre os semifinalistas da competição na categoria "Design" e não como finalista, conforme divulgado no dia 1º de novembro. A divulgação dos finalistas será realizada no dia 8 de novembro.

 

(Camila Collato/Comitê de Comunicação UFSC Blumenau, com informações Prêmio Brasil Criativo)

 

Tags: acessibilidadedesignengenhariainclusãomodaprêmiotextil
  • Página 1 de 3
  • 1
  • 2
  • 3