Elo entre neurociência e educação é tema de aula de abertura do Mestrado Profissional em Ensino de Física

26/02/2018 15:57

O Mestrado Profissional em Ensino de Física (MNPEF UFSC Blumenau) convida para sua aula de Abertura 2018/1, com o Prof. Dr. Guilherme Brockington, da Universidade Federal do ABC (UFABC). ele abordará o tema “Neurociência e Educação: limites e possibilidades para o Ensino de Física” em palestra ao público no dia 09 de março, às 13h30min, no auditório da UFSC Blumenau (Rua João Pessoa, 2750, bloco B). O evento é aberto, gratuito e será transmitido ao vivo pelo link https://goo.gl/Zt88CJ.

Graduado em Física pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade de São Paulo e Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo, Guilherme investiga o papel da emoção na construção de conhecimentos científicos e a influência de elementos afetivos nas tomadas de decisão. Autor de diversos materiais didáticos, o convidado lecionou em inúmeros cursos de formação continuada para professores da rede pública. Na área do Ensino de Física, atua principalmente nos seguintes temas: Física Moderna e Contemporânea, Ensino de Física Quântica e Teoria da Relatividade, Filosofia da Ciência, Realismo, Educação, Transposição Didática, recursos instrucionais para o Ensino de Física, simulações e modelagem.

+ Leia mais:

(Comunicação UFSC Blumenau, com informações MNPEF)


Estudantes do Mestrado Profissional em Ensino de Física defendem dissertação

Nas próximas semanas a UFSC Blumenau terá seus primeiros formandos. Eles oriundos do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Física. Nos dias 02, 09 e 13 de março, três estudantes defendem suas dissertações: Emerson Avelino Medeiros, Ricardo Beal e Rafael Roza. As apresentações são públicas. Veja o cronograma:

2 de março (sexta-feira)

Horário: 10h

Local: Sala A 305

Aluno: Emerson Avelino Medeiros
Título do trabalho: “Física na Educação Básica: Um livro com experimentos de física como suporte didático para pais e professores de alunos do Ensino Fundamental.”

BANCA EXAMINADORA:

Prof. Dr. Eslley Scatena Gonçales (Coorientador)
Prof. Dr. Lucas Natálio Chavero (Membro Interno)
Prof. Dr. Rodrigo Turcati (Membro Externo)

9 de março (sexta-feira)

Horário: 8h30min

Local: Auditório - bloco B

Aluno: Ricardo Beal
Título do trabalho: “Da descoberta do núcleo ao Bóson de Higgs: uma introdução ao Modelo Padrão de Partículas Elementares com atividades virtuais.

BANCA EXAMINADORA:

Prof. Dr. Daniel Almeida Fagundes (Orientador e presidente da banca)
Prof. Dr. Daniel Girardi ((Membro Interno)
Prof. Dr. Luiz Fernando Mackedanz (Membro Externo)

12 de março (segunda-feira)

Horário: 16h

Local: Sala A307

Aluno: Rafael Roza
Título do trabalho: “Desenvolvimento de um produto didático para demonstração do comportamento magnético da matéria e fenômenos eletromagnéticos.

BANCA EXAMINADORA:

Prof. Dr. Cristiano da Silva Teixeira (Orientador e presidente da banca)
Profª. Dra. Lara Fernandes dos Santos Lavelli ((Membro Interno)
Prof. Dr. Claudio Michel Poffo (Membro Externo)

Tags: dissertaçãoeducaçãoensinofisicamestradoneurociênciapósgraduação

RESULTADO: Processo Seletivo para Professor Substituto – Área: Ensino de Química

06/02/2018 13:00

A Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Prodegesp) publicou na quinta, 25, edital para processo seletivo simplificado para contratação de professor por tempo determinado.

Para o Campus Blumenau, há 01 (uma) vaga para o Departamento de Ciências Exatas e Educação, na Área/Subárea de conhecimento: Ensino de Química.

O período de inscrições é de 29 de janeiro a 02 de fevereiro, das 8h às 13h, na Secretaria dos Departamentos, localizada na Sala B116, na Sede Acadêmica do Campus Blumenau (Rua João Pessoa, nº 2750, Bairro Velha, Blumenau/SC).

 

Área/Subárea de conhecimento: Ensino/Ensino de Química

Processo: 23080.000036/2018-83

Nº de vagas: 01 (uma)

Regime de Trabalho: 40 (quarenta) horas semanais

Requisitos: Graduação em Química (Licenciatura) e Especialização ou Mestrado ou Doutorado em Educação ou Ensino de Química ou Ensino de Ciências ou Educação Científica e Tecnológica ou Educação em Ciências ou Filosofia e História da Ciência.

 

Tags: concursoeducaçãoensinoquimicaseleçãoufscuniversidadevaga

Estudantes de licenciatura realizam diagnóstico sobre Projetos Político-Pedagógicos de escolas públicas

04/12/2017 18:29

As turmas das disciplinas de Organização Escolar e Organização e Gestão de Educação, dos cursos de Licenciatura em Química e Matemática, realizaram um diagnóstico dos Projetos Políticos Pedagógicos (PPPs) da Escola de Educação Básica Carlos Techentin e Escola Básica Júlia Lopes de Almeida, de Blumenau-SC. A atividade fez parte de uma prática curricular orientada pela professora Leila Procópia do Nascimento.

O objetivo da atividade foi contribuir com sugestões de atualização dos documentos às equipes gestoras das escolas e comunidade escolar. Os estudos para elaboração do diagnóstico foram desenvolvidos com babe nos conteúdos ministrados nas aulas ao longo do semestre 2017/2.

A iniciativa contou com apoio da 15ª GERED, onde a Prof Leila já desenvolve projetos de extensão na área de Gestão Escolar. “Além de agradecer o empenho dos estudantes nesta tarefa e a receptividade das equipes gestoras das duas escolas, espero que estes documentos contribuam com a Organização e Gestão da Escola, especialmente no que diz respeito a reestruturação dos respectivos PPPs”, avaliou a docente.

Mas afinal, o que é PPP?¹

O Projeto Político Pedagógico (PPP) é uma exigência prevista na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), de 1996. Neste documento constam os objetivos-base da instituição escolar, bem como suas metas e visão de futuro.

  • É projeto porque reúne propostas de ação concreta a executar durante determinado período de tempo.
  • É político por considerar a escola como um espaço de formação de cidadãos conscientes, responsáveis e críticos, que atuarão individual e coletivamente na sociedade, modificando os rumos que ela vai seguir.
  • É pedagógico porque define e organiza as atividades e os projetos educativos necessários ao processo de ensino e aprendizagem.

Um PPP bem estruturado permite ao gestor reconhecer e concretizar a participação de todos na definição de metas e na implementação de ações. Ou seja, é uma ferramenta essencial para a gestão democrática da escola.

(¹Com informações Gestão Escolar)

Tags: diagnósticoeducaçãoensinoescolaescolargestãopedagógicopolíticoprojetopúblico

Licenciandos participam de atividades sobre acessibilidade no campus

20/11/2017 22:42

Há quem diga que o melhor aprendizado vem da experiência. Essa afirmação ganhou sentido ainda maior para os estudantes das Licenciaturas em Química e Matemática do campus Blumenau, nos dias 26/10 e 09/11. A professora Fabiana Schmitt Corrêa, que ministra a disciplina de Educação Especial, promoveu uma atividade para que os estudantes percebam as barreiras arquitetônicas que se colocam aos deficientes físicos e visuais no campus.

Para isso as turmas exploraram os blocos A e B da Sede Acadêmica utilizando vendas, bengalas, andadores, cadeira de rodas e muletas. Eles adentraram salas, secretarias, biblioteca e utilizaram equipamentos como os elevadores. Os estudantes puderam observar dificuldades de locomoção, a falta de espaço para mobilidade da cadeira de rodas e de referências táteis e sonoras.

“Esta ação promoveu um exercício de empatia e oportunidade de revisão de concepções, desconstrução de preconceitos a respeito da pessoa com deficiência, destacando a mobilidade e acesso das pessoas com deficiência visuais e físicas. Espero que a partir dessa ação, os alunos licenciandos reflitam sobre o direito da pessoa com deficiência, de acessibilidade, de equidade e de inclusão” avaliou a docente.

Fabiana agradeceu ainda à FURB e à ABLUDEF que contribuíram para a realização dessa experiência, cedendo os equipamentos como cadeira de rodas, bengalas, andador e muletas.

Opinião de quem participou

"Foram atividades de empatia. Com base nas nossas próprias suposições e impressões, tentamos compreender os desafios impostos às pessoas com deficiência física ou visual no dia a dia da instituição, além de refletir sobre a melhor forma de ajudá-las em situações de dificuldade.

Em alguns minutos, encontramos diversos obstáculos que podem dificultar ou impossibilitar a mobilidade dentro do campus: não há audiodescrição nos elevadores, pisos táteis nos corredores, nem placas ou mapas de localização em braile para maior independência da pessoa com deficiência visual. De forma análoga, alguns dos livros da biblioteca estavam dispostos em prateleiras a alturas inacessíveis para pessoas em cadeiras de rodas e os banheiros, classificados como adaptados, eram de difícil utilização e estavam ocupados enquanto banheiros comuns estavam livres. Além disso, não há rampas de acesso ao bloco B nem na saída de emergência, limitando o direito de ir e vir de pessoas com deficiências físicas.

O mais surpreendente foi perceber que o problema não estava na nossa maior ou menor limitação fisiológica, mas na consciência de o ambiente que nos cercava estava despreparado para atender às nossas necessidades e que as pessoas se sentiam desconfortáveis para se aproximar e prestar auxílio."

* Morgana Aline Voigt, Licencianda em Química

Fotos

 

(Comunicação UFSC Blumenau, com informações da docente)

Tags: acessibilidadeacessocegodeficiênciaeducaçãoespeciallicenciaturasurdez