UFSC Blumenau celebra 5 anos de implantação em sessão solene

21/03/2019 19:53

O Conselho de Unidade do Centro de Blumenau realizou no dia 19/3, às 17h30min, uma sessão solene comemorativa aberta à comunidade para celebrar os cinco anos do Campus Blumenau da Universidade Federal de Santa Catarina. O evento contou com a participação do reitor da instituição, Ubaldo Cesar Balthazar e demais membros da equipe da administração central.

Além do reitor, a mesa de honra foi composta pelo Diretor do Campus, João Luiz Martins, pelo técnico-administrativo em educação, Milton Umberto da Silva, pela docente Caroline Rodrigues Vaz e pelo estudante Renan Felinto.

Após a abertura oficial da solenidade o Madrigal e a Orquestra de Câmara da UFSC, sob regência de Miriam Moritz, realizaram uma apresentação musical aos presentes. Com o auditório do Campus Blumenau lotado, servidores e alunos prestigiaram um repertório variado, composto por canções brasileiras e internacionais.

A pauta da solenidade seguiu com homenagens aos cinco cursos de graduação oferecidos atualmente pelo Campus e aos programas de pós-graduação. A Vice-Diretora do Campus Blumenau, Ana Julia Dal Forno, aproveitou a ocasião para apresentar uma breve prestação de contas e um resumo geral das conquistas alcançadas pela administração do Campus no último ano.

Após a sessão, a comunidade acadêmica confraternizou em um café organizado no hall central do bloco B.

Veja as imagens:

 

(Camila Collato/Comitê de ComunicaçãoUFSC Blumenau)

(Fotos de Henrique Almeida/Agecom UFSC e Camila Collato/UFSC Blumenau)

Tags: aniversáriocomemoraçãosolenidade

NUDRI convida para a palestra “Os engenheiros na relação entre tecnologia e sociedade”

15/03/2019 17:03

(Atualizada em 21/03/2019, às 11h27min)

O Núcleo de Desenvolvimento Regional e Inovação (NUDRI) convida para a palestra "Os engenheiros na relação entre tecnologia e sociedade: desastres, embargos ambientais e atuações empresariais", com o consultor ambiental e de comunicação Maurício Teixeira Martins (Minas Gerais). O evento será realizado no dia 28/3, às 17h, no auditório do Campus Blumenau (bloco B, 1º andar). A atividade terá certificação e valerá como horas para Atividades Acadêmico-Científico-Culturais (AACCs).

Com cenários como os de Brumadinho e Mariana, a responsabilidade social e a atuação ética do profissional de engenharia perante a sociedade voltam à discussão. Com ampla experiência na implantação de projetos de usinas hidrelétricas, mineração e portos o palestrante traz aos estudantes contribuições valiosas sobre o relacionamento entre empresas, engenheiros e comunidades.

--

Sobre o convidado

Maurício Teixeira Martins é Diretor da MM Social. Graduado em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas, pós-graduação em Gestão da Comunicação pela PUC Minas. Fez vários cursos nas áreas de gestão social no Chile, África do Sul e Canadá e de gestão da comunicação estratégica nos EUA e no Canadá. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.

Implantou vários projetos de usinas hidrelétricas, mineração e portos, gerenciando o relacionamento institucional, projetos de comunicação estratégica, relacionamento com as comunidades, critérios de negociação, levantamentos de vulnerabilidade social, monitoramento socioeconômico, gerenciamento de programas de reassentamento, programas de educação ambiental, reestruturação produtiva, além de programas socioeconômicos e ambientais para fins de obtenção de licenças ambientais.

Tags: engenhariaéticagestãomeioambienteresponsabilidade

Abertas as inscrições para curso de extensão sobre psicanálise, matemática e educação

15/03/2019 12:43

Estão abertas as inscrições para o curso de extensão "Introdução à Psicanálise e suas Relações com a Matemática e a Educação", ministrado pelo Prof. Julio Faria Corrêa. Os encontros serão sempre às quartas-feiras, das 16h30min às 18h00, no Campus Blumenau. A iniciativa é aberta à comunidade em geral e gratuita.

O objetivo é introduzir o estudo da psicanálise lacaniana para qualquer pessoa interessada no assunto e estabelecer relações com a Matemática e a Educação. O curso será baseado no comentário das Conferências Introdutórias à Psicanálise que foram pronunciadas por Freud entre 1915 e 1917 na Universidade de Viena. Com base neste comentário serão problematizadas as relações com a Matemática e a Educação.

O comentário será realizado por meio da exposição dialogada com os participantes do curso. Serão realizados, ao todo, trinta encontros semanais, ao longo dos dois semestres letivos de 2019. O curso contará também com apresentação de trabalho sobre livro Submissão de Michel Houellebecq. Espera-se despertar o interesse pela psicanálise e suas relações com a Matemática e a Educação, além de criar as bases para o comentário da obra de Jacques Lacan.

Inscrições e projeto completo em http://juliocorrea.paginas.ufsc.br/

Tags: educaçãoExtensãoFreudmatematicapsicanálise

PréUFSC: estudante de Indaial conquista aprovação em Medicina na UFSC

10/03/2019 19:33

"Eu queria mostrar que a escola pública também pode", afirmou Érick Schnorrenberger, aprovado no Vestibular UFSC 2019 para o curso de Medicina.

Érick e o pai, Lauro, retornam ao Campus Blumenau após a aprovação (Foto: Camila Collato/UFSC Blumenau)

A preparação para o vestibular é um desafio que abrange uma série de fatores, que vão desde o curso a ser escolhido, até questões pedagógicas e socioeconômicas de acesso à escola, materiais, professores e cursinhos preparatórios. Para quem almeja carreiras como Medicina é preciso ainda ter foco para não se deixar abalar pela alta concorrência. No último vestibular da UFSC, o curso somou 204 candidatos/vaga mantendo-se no topo do ranking das carreiras mais disputadas.

Mas tudo isso não desanimou Érick Schnorrenberger, de 18 anos, então estudante da EEB Raulino Horn, de Indaial/SC. Com o suporte das aulas do PréUFSC, cursinho gratuito oferecido pelo Campus Blumenau, e o apoio da família ele conquistou a tão sonhada vaga e iniciará, em agosto deste ano, os primeiros passos na carreira médica na UFSC.

Quando convidado para falar um pouco sobre sua experiência nesse processo, Érick veio acompanhado do pai Lauro Schnorrenberger, que não continha o sorriso orgulhoso estampado no rosto. De família simples, oriunda de Itapiranga, no Extremo Oeste catarinense, o novo calouro da UFSC aprendeu desde cedo o significado de persistência e o gosto pela leitura com os pais. "Desde crianças eles [referindo-se também à irmã, Ketlyn] devoravam gibis. A gente tinha que contar várias e várias vezes histórias para eles. Também sempre estavam na biblioteca municipal de Indaial. Voltavam para casa com pilhas e mais pilhas de livros", recorda Lauro. Para ambos, a educação para a leitura foi de vital importância no desenvolvimento de competências como concentração e interpretação.

Érick acompanhado dos pais, Marlene e Lauro, e da irmã Ketley no campus Florianópolis da UFSC, onde iniciará os estudos no segundo semestre.

No 8° e 9° ano do fundamental, Érick participou das competições da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP), conquistando a medalha de bronze e uma bolsa do Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC). Essa experiência o motivou a seguir sozinho na preparação para o vestibular durante o ensino médio. Mesmo com um boletim impecável - com notas que variavam em sua maioria entre 9,0 e 10,0 - o estudante não relaxava na rotina escolar. "Eu sempre estudei muito...assim, eu sempre fui o nerd da sala [risos]. Sempre fiz mais do que precisava, para além dos trabalhos, das provas. Os professores me questionavam por que eu estudava tanto se eu já estava com notas excelentes para passar. Mas eu sabia que se eu quisesse aprovar no vestibular, tudo tinha que ser diferente", contou.

Logo no 1° ano do ensino médio o estudante começou a fazer simulados e no 2° ano adquiriu um cursinho online, elaborando por conta própria os cronogramas de estudos. "No mesmo ano eu fiz o Enem e o vestibular da UFSC e me saí relativamente bem", contou. Nesse intervalo de cerca de dois anos, com o auxílio dos pais, Érick conseguiu subir sua média de pontuação no Enem de 450/480 para 740. Em 2018, depois de conversar com os professores e ler mais a respeito da profissão médica, veio a decisão pela graduação a ser seguida. "Eu sabia que Medicina era o curso mais concorrido da universidade, mas então pensei que se eu passasse para este, caso eu quisesse trocar de opção depois, teria condições de ser aprovado em qualquer outra graduação", explicou. O vasto campo de pesquisa proporcionado pela área das ciências da saúde também chamou a atenção do estudante, que já cogita desenvolver projetos.

Muita leitura, exercícios e pouca rede social: rotina de estudos somava 10 horas diárias ou mais. (Foto: Camila Collato/UFSC Blumenau)

A rotina de estudos era rigorosa: começava às 7h30min na escola e se estendia até às 22h em casa, de segunda a sexta. Aos sábados, Érick vinha ao Campus Blumenau para assistir às aulas do PréUFSC. Redes sociais e aplicativos de mensagens? Nem pensar. "Eu saí do whatsapp, era muita distração", afirma sem vacilar. "Eu lia os livros do vestibular e fazia todas as questões das provas anteriores: imprimia e resolvia tudo na mão, para sentir mesmo como era", recorda. Aos finais de semana, para descansar a mente, aproveitava para tocar violão, viola, jogar bola e ficar com a família. Não sem antes reservar um tempo aos domingos para o planejamento da semana seguinte.

No PréUFSC, Érick entrou em contato com muitos conteúdos anteriormente vistos no colégio, mas agora de forma aprofundada, algo que as aulas regulares não conseguiam suprir, em sua opinião. Para ele a receptividade e o suporte da equipe do cursinho, com monitorias, oficinas e apoio psicopedagógico foi fundamental, além do contato constante com os graduandos o que, segundo ele, permitiu diminuir a ansiedade projetada acerca dessa nova etapa da vida. "A gente que estuda na escola pública às vezes não sabe muito bem como que é a universidade. E é muito difícil participarmos de coisas como as que foram oferecidas nas oficinas, tanto de redação quanto nessa parte de apoio psicológico, além de aulas sobre física moderna ou exercícios práticos de química como os que fizemos nos laboratórios", relatou.

Quando questionado se havia feito provas para mais de uma universidade, ele explica que sua estratégia foi esmiuçar ao máximo o certame da UFSC e apostar apenas na instituição, por causa de fatores como permanência e distância da família. "Como eu estava estudando sozinho, foquei na UFSC porque o estilo da prova é bem diferente (somatório). Nos cursinhos especializados a gente sabe que o pessoal estuda o dia todo para todas as universidades, mas cada prova é diferente. Então eu fui só nela (UFSC), era tudo ou nada. E deu certo", comemora.

Sobre as contribuições que pretende deixar agora como aluno regular da UFSC, Érick ressalta fatores que ultrapassam os anseios individuais. "Eu queria mostrar que quem vem da escola pública também pode. Para mim, todo estudo reflete a interação humana. Por isso não basta só estudar: é preciso ser humano, conversar com as pessoas, olhar no olho. E lembrar que não há só coisas ruins no mundo, têm muitas pessoas que fazem tudo valer a pena. Acho que é isso que eu quero deixar como exemplo".

(Camila Collato/Comitê de Comunicação UFSC Blumenau)

Tags: aprovaçãomedicinapréufscpúblicaufscVestibular
  • Página 1 de 2
  • 1
  • 2